Viveiro Municipal vive sua fase mais florida

Para quem acha que superação é uma virtude somente dos humanos ou animais irracionais, é porque ainda não esteve no Viveiro Municipal de Rolante. Localizado ao fundo do terreno do Parque da Kuchenfest, o local vive hoje sua melhor fase: recheado de mudas, prontas para florir os canteiros das avenidas e praças de Rolante, ou mesmo recuperar saibreiras e barrancas de rios.

A retomada dos trabalhos no Viveiro ocorreu há pouco mais de um ano. “A estufa estava caindo, o local servia somente como um depósito. Faltava conhecimento técnico, de como produzir as mudas”, conta a diretora de eventos Sônia Rocha. Foi aí que surgiu a ideia de fazer um curso do SENAR, onde, além de ampliar o conhecimento sobre plantio, a equipe aprendeu a construir uma estufa. “Conseguimos os materiais por preços melhores, eles foram aprendendo e reerguendo a estufa, que acabou saindo muito mais em conta. Fizeram testes na terra, paramos de perder mudas. Foi muito positivo”, recorda Sônia.

Para manter a cidade florida, o município sempre comprava mudas. O último investimento feito foi com a proximidade da Kuchenfest, quando foram adquiridos R$ 1.200,00 em mudas. Mesmo com a estufa já concluída, veio o período de seca e o início da pandemia e muitas plantas morreram. Porém, com o conhecimento adquirido e a retomada dos trabalhos, hoje 100% das mudas que decoram a cidade são todas produzidas no viveiro.  “Agora a gente começa a ganhar tempo e a se preparar com antecedência. Em outubro vamos começar a semear novas mudas pra no verão ter flor na cidade. A equipe gosta do que faz, trabalha com amor, vontade de aprender. Fizemos mudanças positivas, e isso reflete na cidade”, comemora Sônia.



Antoninha e Valdir: amor e cuidado com as plantas

Valdir de Oliveira tem 57 anos, dos quais, 27 dedicados ao serviço público. Iniciou na Prefeitura como serviços gerais, trabalhou como operador de obras e nos últimos dois anos está cuidando das plantas, na equipe do Departamento de Meio Ambiente. O dia do seu Valdir já começa no Viveiro. São dezenas de espécies que ele planta, rega, transplanta e acompanha o crescimento. De lá, as mudas vão reflorestar margens de rios e saibreiras. Ele também ajuda a plantar, regar e limpar os canteiros de flores das avenidas e praças. “Nasci nos matos, nunca fui de fábrica, me sinto bem. Chego em casa e vou brincar com as crianças, aqui eu me acostumei, é um ambiente bom de trabalhar, sem stress”, conta Oliveira.


O sentimento de bem estar é o mesmo que vemos nos olhos e no sorriso da Antoninha Piacheski, 37 anos. Um cuidado tão grande com as plantas, que quem as percebe, dificilmente não conhece a Antoninha.

Seu trabalho no município começou em 2011, como zeladora do Setor Ambiental, nas Campinas. De lá, veio para o Turismo, em 2015. Hoje, ela é responsável  pela jardinagem, canteiros, praças, limpeza, tudo o que se refere ao embelezamento da cidade. No Viveiro,  é ela quem cuida da reprodução de mudas na estufa. E elas estão lindas! Quem adentra, tem a sensação de estar em uma maternidade. “Primeiro a gente coloca nas bandejas para semear. Em 20 dias, passa para a bandeja maior, onde a muda se desenvolve, em dois meses, ela está pronta para ir pras ruas”, conta Antoninha. Atualmente, a estufa conta com 370 caixas, ou seja, 5.600 mudas das espécies Alegria de Jardim e Mel que estão prontinhas para embelezar a cidade.

“Fico realizada, feliz, é o trabalho da gente. As pessoas me atacam na rua e me elogiam, dizem que me admiram muito e sentem o amor que eu tenho pelas flores. Porque as flores respondem, parece que estão sorrindo pra gente”, declara, orgulhosa. E conclui: “O pagamento é importante, mas quando a gente ganha um elogio, é muito bom. Se todos pudessem trabalhar no que gostam”, finaliza.

Escolha mês de referência
Junho - Julho - Agosto

































Compartilhar