XXVI Festivale bate recorde de público: mais de 7200 pessoas assistiram aos espetáculos

O XXVI Festivale encerrou em grande estilo, batendo recorde de público. De 24 a 30 de junho 7200 pessoas assistiram aos 19 espetáculos que participaram deste evento que, a cada ano, surpreende o público pela qualidade dos espetáculos e aos grupos de teatro pela seriedade do trabalho e organização feita pelo Departamento de Cultura de Rolante.
Orgulhosa, a diretora de Cultura, Joyce dos Reis, fala com carinho e emoção sobre o mais antigo Festival de Teatro do Rio Grande do Sul que há muito tempo não pode mais ser chamado de amador, diante da qualidade dos grupos que se inscrevem para participar do evento. “Neste ano contamos com a participação de espetáculos de diversos municípios gaúchos e um de Santa Catarina. Recebemos inscrições até de Minas Gerais. Isto mostra o quanto este festival tem credibilidade e nos dá forças para, com o apoio da Administração Municipal, buscarmos, sempre, fazer um trabalho melhor a cada edição”, salienta Joyce.
Além das escolas municipais, estaduais, federal e particulares de Rolante, o Festivale recebeu em sua platéia estudantes e professores de Riozinho (330 pessoas), São Francisco de Paula (100) e Canoas (20), que vieram prestigiar e se encantar com os espetáculos.
O encerramento foi realizado na noite de ontem, 30, com o espetáculo convidado e único com cobrança de bilheteria: “Elas voltaram! E ainda mais maravilhosas”, do Grupo Curto Arte, de Dois Irmãos. Ao longo da semana foi arrecadada mais de uma tonelada de alimentos não perecíveis que foram doados à Secretaria Municipal de Assistência Social, Habitação e Participação Popular.

Confira os vencedores do XXVI Festivale:


MELHOR ESPETÁCULO CATEGORIA ADULTA: Mata teu pai - Coletivo Pyton (Porto Alegre)

MELHOR DIREÇÃO CATEGORIA ADULTA: Coletivo Pyton - Mata teu pai (Porto Alegre) e Marcelo Adams - O Polvo (Montenegro)

MELHOR ATOR CATEGORIA ADULTA: Gabriel Farias dos Santos - Mata teu pai

MELHOR ATRIZ CATEGORIA ADULTA: Grupo de atrizes do Coletivo Pyton (Maiara Teixeira Marques, Giovana Pozzi, Renata Carvalho Pessoa, Elisa dos Santos e Gilvana dos Santos) - Mata teu pai

MELHOR ATOR COADJUVANTE CATEGORIA ADULTA: Jeferson Ghenes - Teima filho, teima que dá

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE CATEGORIA ADULTA: Jennifer Franco - Os Miseráveis

MELHOR CENOGRAFIA CATEGORIA ADULTA: Coletivo Po(l)vo de Teatro - O Polvo

MELHOR FIGURINO CATEGORIA ADULTA: Coletivo Po(l)vo de Teatro - O Polvo

MELHOR ILUMINAÇÃO CATEGORIA ADULTA: Fabiana Santos e Izabel Cristina - Teima filho, teima que dá

MELHOR TRILHA MUSICAL CATEGORIA ADULTA: Coletivo Pyton - Mata teu pai

MELHOR TEXTO ORIGINAL CATEGORIA ADULTA: Fábio Ferraz - A vida vivida de Zé Beré

MELHOR CARACTERIZAÇÃO CATEGORIA ADULTA: Grupo Não temos nome ainda - A vida vivida de Zé Beré

MELHOR ESPETÁCULO CATEGORIA INFANTIL:  Vida Seca – Cia. Etc I Tal

MELHOR DIREÇÃO CATEGORIA INFANTIL: Max Reinert – Vida Seca

MELHOR ATOR CATEGORIA INFANTIL: Jardel Rocha - Junho: uma aventura imaginária

MELHOR ATRIZ CATEGORIA INFANTIL: Alessandra Bier - Junho: uma aventura imaginária

MELHOR ATOR COADJUVANTE CATEGORIA INFANTIL: Roger Santos - Junho: uma aventura imaginária

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE CATEGORIA INFANTIL: Ana Caroline de David - Junho: uma aventura imaginária

MELHOR CENOGRFIA CATEGORIA INFANTIL: Max Reinert e Sidval Batista Jr. – Vida Seca

MELHOR FIGURINO CATEGORIA INFANTIL: José Renato Leão - A incrível viagem do navio Geringonça

MELHOR ILUMINAÇÃO CATEGORIA INFANTIL: Ismael Goulart - As zebras escondem suas cicatrizes

MELHOR TRILHA MUSICAL CATEGORIA INFANTIL: Max Reinert – Vida Seca

MELHOR TEXTO ORIGINAL CATEGORIA INFANTIL:  Fernanda Moreno - As zebras escondem suas cicatrizes

MELHOR CARACTERIZAÇÃO CATEGORIA INFANTIL: Jennifer Ribeiro e Jardel Rocha - Junho: uma aventura imaginária

PRÊMIO ESPECIAL DO JÚRI: O corpo de avaliadores, decidiu por unanimidade, premiar com o Prêmio Especial do Júri o Grupo de Estudos Teatrais da cidade Gravataí – Izabel Cristina, Armando Barden, Eulália Figueiredo, Andrei Oliveira, Bianca Rodrigues, Laís Ramos, Jackson Reis, Karolini Zanchin, Jeferson Ghenes, Erick da Silveira, Karine Goulart, Pablo Wulff, Mário Bressiane, Cristina Lentz e Fabiana Santos, pela pesquisa continuada em teatro e pela diversidade do corpo coletivo.

Resultado do Júri Popular:
Melhor espetáculo Infantil Júri Popular: Vida Seca – Cia Etc I Tal
Melhor espetáculo Adulto Júri Popular: A vida vivida de Zé Beré – Grupo Não Temos Nome Ainda
Avaliadores: Dionatan Daniel da Rosa, Virgínia Maria Schabbach   e William Molina.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fotos dos espetáculos: Foto Both


























Ouvidoria Interna Prefeitura

__

 

 

 

 

Compartilhar